segunda-feira, 21 de abril de 2008

A Novidade


Para ser feliz é necessário pouca coisa... além se livrar do excesso de carga e esquecer as coisas certas.
Desperdiçar momentos presentes com nostalgias vividas é algo tão desnecessário quanto manter-se com uma mochila de sentimentos fechada com um cadeado que perdemos a chave a um tempão atrás...
Deixe essa mochila no fundo do armário que é o lugar dela, ou melhor, jogue-a num rio para que nunca possa lembrar que ela um dia existiu.

Novo momento, novos ares, lugares, novos projetos...
“Estou preparado para isso?”
A resposta poderia ser muito simples como SIM ou NÃO.
Mas não há resposta.
A missão é levantar a âncora, porque quem olha para trás acaba tropeçando nos próprios pés e perdendo toda a paisagem.
E muitas vezes é preciso que se tropece e caia 7 vezes para que se possa levantar 8.
E, aprender que temos que correr o sagrado risco do acaso. Substituindo o destino pela probabilidade, porque o que torna a vida interessante é o fato de não a controlarmos, seguindo no imenso risco a caminho do NOVO.

Nunca mais haverá momento como aquele?
Ótimo, porque o novo é tão imenso que seria um desperdício se algo se repetisse.

Que venha o Novo!

Picture: Bird on the Top - Voar é preciso

10 comentários:

biancaf81 disse...

Ah, o novo...
Como é difícil se desvencilhar do velho, dar vazão ao novo e sem medo de ser feliz deixar ele entrar!
O velho, por pior que seja, "é velho conhecido", é seguro...
Portanto, meu caro, suas palavras foram inspiradoras nessa manhã de feriado chuvosa.
Gde beijo,

Bianca (ou Beth, se preferir...rs)

Rafael disse...

Gostei!
:)

Danilo disse...

Oi Tchuco!!!

Gostei do texto, mas terei que divergir um pouco...

Sem passado não há história e muito mesmo referência para seguir a diante, é bom sim se desvencilhar, porém, possuir a soma das experiências vividas é de grande valia até para o mais pacato tolo.

Solte as correntes, mas nunca perca a bagagem.

Beijo, beijo querido.

Fabio Allves disse...

O Novo é meu lema!!! Que vivam a vida ...
Beijos

juliana disse...

e viva o desapego!
e viva impermanência!
e viva buda !
e viva dalai lama!
e viva lama michel!

: )

juliana disse...

mais um coisa...

o presente contém o passado e o futuro...só ele importa..
é resultado do vivido e devir, uma porção adquirida e outra a ser vivida..


viva o presente!! heheh
bjooo
jU

luz disse...

Wlad, muito bom seu blog...
Já esta nos meus marcadores.
Alias, quero um visita sua também.

Um abraço

A.Soares disse...

Que sucesso, adorei mesmo, só não acho elegante cair tanto assim, gosto no máximo de tropeçar, apesar de não ser novela, muitos me seguem, então, não posso as vezes me da o luxo. Mas o medo do novo, jamais, e não quero que nada se repetida, pois o que é bom na minha vida fica, o resto que se foi, não era bom o suficiente para que se repita, então.... Que venha o novo

Beijos

Rodrigo disse...

O Novo, adoro ele... E tbm adoro a forma como vc. compara o passado a uma velha mochila sem chaves, que devemos deixar beem longe de nós.
É super possível sim querido!!
Grande Beijo
K

coneijo disse...

Na Espanha existe o seguinte ditado: "melhor o mau conhecido que o bom por conhecer". Diversas vezes, quando pensei em mudar alguma coisa em minha vida, algumas pessoas me convenceram de desistir usando esta frase. TODAS as vezes que aceitei o conselho, me arrependi. Acredito que é sempre bom mudar, estar disponível para o novo, mesmo se não há nada negativo que demande a mudança. Todas as vezes que ousei mudar, mesmo quando o resultado foi desapontador, não me arrependi.

Adoro seus textos, Wlad. Parabéns meu querido.