segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Onde?



...Benditas coisas que eu não sei, lugares onde não fui, gostos que não provei, espaços que ainda procuro...
Perdido em si só, em busca de lugares, gostos, espaços...
Tenho vontade de seguir e sumir (?)
Seguir e sumir...

Assim como se planeja ir e vir constantemente.

O novo sempre foi algo indescritivelmente atraente quando pensamos em “scape”.
E definitivamente complicado definir, se, é a fuga de si só, ou a busca realmente de novos horizontes.
Quando cortamos nossas “raízes” perdemos junto a seiva da vida.
Só se consegue saber pra onde ir, se souber de onde veio, sem rupturas.
Pode ser através de meditação, auto-análise forçada, uma corrida de bicicletas no Camboja, ou um passeio pelas ruas de Pirapora.

Não importa.

Muitos passam a observar, outros a auto-observar.

Mas eu digo que, quando algo não está legal, e você começar a surtar, use a técnica que grandes admiradores de arte fazem:
Recue diante da tela, e mude de ângulo em relação a ela, observe as cores, os traços e os detalhes, que na correria , sempre passam despercebidos, não visto.
Então notará que a tela é muito mais do que aquele ponto preto que ficava insistente diante do seus olhos.

Ser feliz, no final das contas, não é questão de sorte ou azar.

É questão de perspectiva...

Picture: O Homem Árvore - As folhas caíram, mas as raízes ainda são fortes para sustentar seu peso

4 comentários:

Fabio Allves disse...

Sem Comentários.

Fabio Allves
http://allaboutt.wordpress.com/

Anônimo disse...

Ótimo texto Wlad, muito verdade esse lance de "não sabe de onde veio, não sabe para onde vai"
Abração

WLAD CONEJO O COOL.ELHO HONESTO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
o blog da Denise disse...

Wlad, gosto muito do seu jeito de escrever. Voltarei mais vezes, procurando dar distância, seguro que notarei muito mais do que uma única idéia que insiste em se impôr sobre todos os pensamentos.